Weiss: "As marcas devem ser catalisadoras de uma conversa com mais valor para a sociedade"

Categories: Agências,audiência,Cannes,comunicação,conteúdo,Criação,Cultura Popular,entretenimento,Filme,Futuro,histórias,Ideias,marca,marcas,narrativas,Propaganda,storytelling

Abap-Rio e Sinapro trouxeram para o Rio o road show criado pela Fenapro e pelo Estadão e que já passou por várias capitais. Quem fala do festival e comenta tendências e lições é a publicitária Patrícia Weiss, que nessa entrevista fala um pouco do que aprendeu no maior festival da publicidade mundial.

1. Cannes é essencial para profissionais de comunicação?
PW – Sim, pois sintoniza o profissional com o cenário mundial da Comunicação, porque tenta ser um reflexo dos principais movimentos e rumos da nossa indústria, na maior concentração de países inscritos em um festival. Com as palestras, debates, academias e workshops o Festival acultura e informa, juntamente com a imensa pluralidade cultural criativa e riqueza de contextos que aterrisa em Cannes através das mais diversas ideias que são inscritas (mais de 40 mil peças são exibidas).

2. Como foi esse ano em relação a anteriores, na sua visão?
PW – O conteúdo do Festival foi além e refletiu a necessidade das marcas abordarem com honestidade, amplitude e profundidade a verdade, o que é realmente relevante para as pessoas, assumindo mais o dever moral de representar a sociedade e poder transformar a cultura. A intenção é a nova autenticidade e o propósito da marca deve ter tanta importância e peso (investimento) quanto a lucratividade da empresa. Em uma sociedade hiperconectada, as verdades, os conflitos e as diferenças entre os indivíduos vêm à tona com muito mais intensidade, a nuance se evidencia, as diferenças humanas ganham cada vez mais voz e Adidas Adizero Feather Tennis Shoes significado , e o que antes era periférico se torna mainstream, pois afeta e comove as pessoas. A generalização se torna descartável na comunicação e em qualquer forma de conteúdo e entretenimento, dando lugar ao que explicita a diferença de tipos, raças e gêneros e isso atravessou o Festival como um todo se materializando em diversas pautas e iniciativas de marcas que Parajumpers Ugo Herr combatem o estereótipo e qualquer forma de preconceito, e defendem a diversidade, igualdade de direitos e o empoderamento feminino. Foi o ano de lançamento da categoria (Glass Lion) que valoriza iniciativas que combatem estereótipos.
Foi também um ano em que as fronteiras entre a publicidade, o conteúdo e o entretenimento se estreitaram ainda mais, e para mim ficou muito claro, durante o Festival, que Branded Content

Author: Claudia Penteado