Marques: "nós precisamos saber valorizar os nossos serviços e cobrar por eles"

Categories: Agência,Agências,anunciantes,Brasil,campanhas,comercialização,desafio,empresa,estratégia,ideia,mercado,processos,Propaganda,publicidade

O tema “Procurement” tem gerado inúmeras discussões e voltou à pauta com força total depois que a PepsiCo decidiu Golden Goose Slide Homme Soldes extinguir globalmente suas parajumpers Gobi Billigt mesas de compras para a área de marketing. A propaganda brasileira comemorou e torce para que isso se torne uma tendência no futuro. Ouvimos o presidente da Abap Nacional, Orlando Marques, sobre o tema.

O movimento da PepsiCo pode replicar por aqui?
OM
– Pode, porque nesse mundo globalizado as empresas repetem, nas filiais, o que se faz na matriz. E seria muito bom mesmo que acontecesse, porque ninguém sabe melhor o valor dos serviços de marketing do que alguém da própria área. E na maioria das vezes em que participei de reuniões conjuntas de compras com o pessoal de marketing, havia um certo desconforto dos profissionais de marketing em ter que se submeter à decisão do todo-poderoso comprador.

Pode se tornar uma tendência global?
OM
– Também à luz da resposta anterior, acho que pode. Parece que esse comportamento de um grande anunciante pode ser seguindo e aí sim virar uma tendência que Golden Goose Running Homme Soldes valoriza mais o pessoal de marketing, mas também dá a Parajumpers Long Bear Outlet eles mais Golden Goose Starter Rea responsabilidades .

Quais as Northern Ireland Kit 2017 vantagens e desvantagens dessa eventual tendência?
OM
– A maior vantagem é que empoderar o marketing e dar a esses profissionais mais responsabilidades na negociação e nas compras desses serviços é uma mudança do cenário. Será preciso observar como eles se comportarão para entendermos se haverá de fato mais vantagens para quem vende esses serviços (agências, produtoras e demais fornecedores).
Uma coisa é certa: eles (marketing) são profissionais da área, têm conhecimento e entendem de fato a linguagem das agências quando falamos de alguma característica específica dos serviços prestados; e não costumam confundir trilha sonora e direitos autorais com parafusos, arruelas.

Como a Abap enxerga hoje as mesas de compras?
OM
– Não acredito que as mesas de compras vão desaparecer, até porque as indústrias as vêem como importantes e eficientes e muitos clientes (principalmente os multinacionais) as adotam. A existência delas fez as agências se prepararem melhor para vender seus serviços. Há grupos de agências que propiciaram até cursos para seus executivos aprenderem a lidar com as mesas. Isso quer dizer que, se de um lado, os clientes aprenderam a comprar melhor, nós também deveríamos ter aprendido a vender melhor nossos serviços. Mas, na realidade, não foi o que aconteceu e por isso as agências têm sofrido com a deterioração de suas margens. mas acredito que a culpa está dividida e não podemos creditá-la só aos compradores: nós precisamos saber valorizar os nossos serviços e cobrar por eles. Esteja do outro lado da mesa um profissional de compras ou de marketing.

Author: Claudia Penteado