15676120_850008171807721_2313815189912092680_oNoel De Simone e Marcos Calvi são sócios na agência Casa da Criação Propaganda há 27 anos. Entra ano, sai ano, a agência mantém o frescor criativo, que sempre foi sua principal característica, e a capacidade essencial de se renovar. Em Digital, fala-se por lá há quase 20 anos. O que faz a diferença é e continua sendo a presença constante junto aos clientes, e o bom, velho – e infalível – “olho no olho”. Confira esse ótimo papo com os dois sócios. Propaganda: o que ainda entusiasma? Calvi: Ver a campanha na rua é o meu barato. Vibro com isso. Noel: É a certeza de que a criatividade e o compromisso com o sucesso dos clientes são coisas que sempre serão valorizadas. Quanto tempo tem a parceria de vcs e por que deu certo? Noel: Lá se vão 27 anos e fundamentalmente dá certo porque somos completamente diferentes um do outro, mas nos complementamos. Além disso, desde sempre e de forma bastante natural, desenvolvemos uma maneira de administrar nossas discordâncias de pontos de vista e de tomar decisões pensando no conforto de todos e no melhor para a empresa. Calvi: A CASA está com 37 anos, boa parte deles com o Noel. Temos uma sociedade de muita cumplicidade, boas conversas e algumas construtivas porradinhas. Dura porque tenho admiração, respeito profissional e grande amizade por ele. Dura porque nossos sonhos e valores estão alinhados. Qual foi o melhor e o pior de 2016? Calvi: Sem dúvidas 16 foi um ano muito duro para praticamente todos os segmentos de negócios. Um ano política e economicamente cruel, na qual tivemos baixos investimentos e que culminou com muitas empresas fechando as portas. No campo pessoal, perdi o fundador da Casa da Criação, meu orgulho profissional, meu pai. Mas teve também muita conquista bacana, dentre elas o retorno à agência de clientes que tinham arriscado outros vôos. Encaro esses reencontros como uma forte demonstração da qualidade do nosso trabalho. Outra coisa que estou curtindo muito é a nossa nova sede. Mudamos para um escritório maior e mais legal no Centro. Tô achando muito maneiro. Noel: Pior, sem dúvida, é este cenário de crise misturado com incerteza, o que inibe o investimento, a ousadia e a vontade de realizar por parte das empresas, que neste momento se preocupam muito mais em reduzir custos do que em tocar novos projetos. O melhor deste ano é que passou rápido. O que esperar de 2017? Noel: Um ano ainda muito duro e com pouca recuperação da economia, mas com alguma perspectiva de melhora conforme o nível de confiança no país vá aumentando, desde que o governo consiga fazer seu dever de casa com seriedade e competência. Calvi: Francamente, o que eu mais quero é dar mais suor às nossas contas publicitárias do que à conta do banco. Além disso, espero muito que essa turbulência ética gere bons frutos. Qual deve ser o papel das agências junto aos clientes? Noel: O momento exige parceria total e uma participação cada vez maior no negócio do cliente, de modo a ser o mais proativo possível e com isso propor soluções criativas, inovadoras e eficazes para ajudar o cliente a melhorar seus resultados. Calvi: O manjado, mas importante, conceito de parceria. Tendances de la mode Na Casa, funcionamos muito próximos dos nossos clientes. Preferimos reuniões presenciais aos e-mails. Esse é o nosso jeito de ser. Estamos envolvidos de verdade. Como a “Casa” vem se transformando junto com o mercado e o que não mudará nunca? Calvi: Com 37 anos de mercado, aprendemos a nos reinventar sempre. Há 18 anos a Casa está envolvida com o Digital através da nossa empresa, a HomeWebbing. Há 4 anos unificamos as empresas e passamos a operar 100% no conceito “all lines”. Foi um grande desafio e muito trabalho no treinamento do time, nas mudanças de paradigmas e nos formatos comerciais. Hoje estamos consolidados e trabalhando full power nesse modelo. O que não mudará nunca é a nossa proximidade do cliente. Insisto em ficar perto deles e da equipe. Pra mim, olho no olho continua batendo um bolão. O que também espero que nunca mude é o jeito Casa de ser. Tenho um orgulho gigante da nossa equipe e do clima da nossa Casa. Noel: A agência vem acompanhando desde sempre a evolução do universo digital na maneira das empresas se comunicarem e isso requer um monitoramento constante, pois é um mundo que não pára de mudar e evoluir. Felizmente, neste quesito estamos super bem-posicionados. O que nunca vai mudar é o nosso jeito de lidar com as pessoas e com nossos clientes, sempre de uma maneira tão profissional quanto acolhedora, tão assertiva quanto transparente, buscando sempre manter uma energia boa e positiva, mesmo diante de cenários nem sempre favoráveis. Qual o case mais importante da agência em 2016? Calvi: Difícil dizer. Gostei muito das campanhas que fizemos para o CasaShopping, cliente parceiro que confia no nosso trabalho. Mas talvez o case mais desafiante de 2016 tenha sido o Vigilantes do Peso, uma operação em nível nacional, alinhada com políticas internacionais, em que temos duras metas semanais a serem batidas. Um baita desafio que não deixa de ser delicioso. Noel: O trabalho feito este ano para a Oncologia D’Or foi um case muito bem sucedido tanto em termos de qualidade criativa, quanto em termos de resultados para o cliente e de reconhecimento quanto à qualidade da agência.

Author: Claudia Penteado